Bem-vindos à Coconut Academy | Welcome to Coconut Academy

[english bellow]

Estou com duas sensações muito fortes no meu peito nesse exato momento: alívio e emoção. 

Alívio, por que estou FINALMENTE lançando esse projeto. Não foi fácil, demorou muito mais do que eu queria, foi quase que um sufoco tirar a Coconut do forno. 

Emoção, por que foi lindo. Está sendo lindo. Muito já aconteceu, e meu coração está gritando de felicidade por estar começando algo tão especial e importante para mim. 

E nesse texto vou contar a história do alívio e da emoção, da Raíssa e da Coconut Academy. E claro, te dar às boas-vindas. :)

Sobre uma paixão: 

Meu nome é Raíssa, tenho 26 anos e tenho muita dificuldade em descrever quem eu sou. Mas, quando tenho que fazer isso, mesmo com o coração disparado e as mãos suando, costumo dizer que sou apaixonada pelos seres humanos. Parece algo bobo e talvez ingênuo, mas é verdade. Eu sou apaixonada por você, por nós, pela maravilha que é estarmos vivos e por tudo aquilo que nos faz brilhar. E é por causa dessa paixão que estou aqui hoje.

Dessa paixão, nasceu uma curiosidade pela vida. Comecei querendo aprender sobre tudo que nos torna mais vivos, sobre as paixões dos seres humanos, sobre arte, sobre música, sobre esportes, sobre a natureza, sobre viajar. Ao me deparar com o fato de que tantos de nós não vivem as suas paixões, ou até mesmo nem sabem quais são elas, fui um passo adiante e comecei então a estudar sobre nós, sobre a nossa essência, consciência, auto-conhecimento, crenças, espiritualidade. Ao mergulhar na essência do ser humano, dei de cara com muitas emoções e valores, e claro, fui aprender sobre eles: sobre o medo, o amor, vulnerabilidade, coragem, integridade, coerência, verdade, felicidade. Nessa onda de aprendizagem, decidi aprender sobre a arte de aprender, sobre educação, sobre libertar a nossa mente, criatividade, educação experimental, facilitação de grupos. Percebi então que não basta ter paixões, mas precisamos agir, e fui aprender mais sobre a tal da ação, sobre engajamento, empoderamento, sobre criação, mão na massa, empreendedorismo, sobre serviço, sobre mudar o mundo.

Diria que nos últimos 10 anos venho aprendendo muito sobre tudo isso, não necessariamente nessa ordem, mas com toda essa intensidade. Nessa jornada de aprendizagem teve de tudo: muito trabalho, diferentes projetos, diversas viagens, muitos cursos, experiências, pessoas inspiradoras, momentos em grupo, outros sozinha, às vezes na cidade, na floresta, ou em comunidades. E no meio disso tudo, sempre permaneceu um sonho: a vontade de unir todas essas paixões, esses trabalhos, esses aprendizados, e empreender.

Sobre o alívio:

O alívio chegou, mas olha, não foi fácil esperar.

A primeira vez que empreendi foi aos 20 anos, ainda na faculdade, uma plataforma para compartilhar talentos e paixões em forma de experiências. Empreendi de novo 3 anos atrás, transformando a agência de intercâmbios que já era sócia junto com a minha mãe em uma empresa com foco em educação experimental por meio de jornadas de aprendizagem. Trabalhei em outros projetos também, sempre como autônoma, sempre com pessoas que me ensinaram muito e organizei e facilitei cursos, experiências, workshops. Tudo isso foi maravilhoso, mas sabe aquela sensação de que "não é bem isso que eu quero"? A vontade de empreender algo que fizesse meus olhos brilharem sempre esteve presente. 

Nos últimos anos, sem brincadeira, devo ter tido por volta de 10 ideias de projetos, criei uns 3 sites, várias páginas no facebook, escrevi textos, fiz apresentações, vixe, muita coisa. A paixão vinha, a visão se desenhava na minha mente, mas a faísca não virava fogo. E isso aconteceu várias, várias vezes. Sempre achava que eu ainda não estava pronta. Ta certo, às vezes de fato não estamos prontos, e hoje eu tenho consciência disso, mas sei também que "estar pronto" não existe, o que existe é "começar". Quebrei a cabeça mil vezes, tentando unir minhas ideias, juntar minhas paixões, criar um conceito "único". Foram muitas conversas com meu marido, com meu irmão, amigos, mentores. Foram momentos de euforia em que eu gritava "É ISSO!" e momentos de muitas lágrimas e dor, em que eu me sentia perdida de novo. E foi em um desses momentos de dor (claro), e de muitas lágrimas, que percebi que tudo isso era uma besteira, e que a resposta estava na minha frente, as ferramentas estavam nas minhas mãos, e tudo o que eu precisava era, apenas, começar. Começar a compartilhar minha história, meus sonhos, minha jornada, meus projetos, meus aprendizados. Começar com um conceito que não está perfeito, ele não precisa ser perfeito, e nunca será. Começar a convidar vocês a participarem, pedir ajuda, criar parcerias e aceitar que é SÓ assim que meu sonho vai criar asas. É só assim que meu sonho não será mais meu, e sim nosso, do mundo. Se esse sonho continuasse na minha mente, seria apenas uma ilusão, uma fantasia, e era isso que estava me matando. Hoje, o alívio chegou, não como se eu soubesse de tudo que estou fazendo, não como se eu não estivesse com medo, mas sim por que este é o tão esperado COMEÇO. 

Sobre a emoção:

Com muita felicidade, orgulho, alívio e emoção, hoje nasce a Coconut Academy. 

Vou ser sincera com você, eu não tenho ideia pra onde a Coconut vai me levar, e é essa incerteza que estou procurando. Mas uma coisa te digo com convicção: isso é mais que um projeto ou um sonho, é parte de mim e vem de um lugar muito verdadeiro e cheio de amor. 

Da mesma forma que choramos no nascimento de um filho, eu hoje me emociono ao colocar esse site no ar e contar essa história para vocês. Como já disse, sou apaixonada por seres humanos, e, mais do que isso, eu ACREDITO nos seres humanos. Mesmo com tanta coisa errada acontecendo no mundo, eu acredito nas nossas belezas mais do que nas nossas feiuras. Não que eu ache que não tenhamos as feiuras, muito pelo contrário. Mas acredito que é possível criarmos consciência sobre ambas, nos apropriando delas para então criarmos ações positivas. Ações que transbordem da nossa mais verdadeira essência. É a tal da arte de brilhar que venho falando em alguns cantos desse site. Sou apaixonada por isso, por ver pessoas brilhando. E quando elas brilham, elas fazem os outros brilharem. 

Porém, tenho noção que esse texto pode até ter palavras lindas, mas a verdade é que a grande maioria das pessoas no mundo não tem ideia disso. Elas não têm idea do seu poder pessoal, de como se empoderar, se amar, e aí então agir para mudar sua realidade. Quantas pessoas têm tempo, dinheiro e até mesmo interesse em falar sobre "auto-conhecimento", "desenvolvimento humano", "empoderamento" e coisas do tipo? Quase ninguém. 

E foi perceber esse distanciamento entre a minha paixão e a realidade da grande parte do mundo, que fez eu me questionar e querer mudar. Sei que sou uma pessoa privilegiada. Estudei e trabalhei com muitas outras pessoas também privilegiadas, em que ter uma boa educação, poder trabalhar com o que se ama e buscar se conhecer são coisas comuns entre nós - e que bom! Porém, tem tanta coisa errada acontecendo no mundo, guerras, miséria, corrupção, machismo, racismo, injustiça. Tantas crianças que nunca tiveram uma família ou uma educação. Tantas pessoas que vivem em áreas de conflito, de abuso, aprisionadas. E eu acredito FIELMENTE que todos nós merecemos e PODEMOS brilhar. Acredito que todos nós merecemos saber que somos poderosos além da medida, e que temos nas nossas mãos todas as ferramentas para criarmos as mudanças que queremos para a nossa vida e para o mundo. Mas para isso, auto-conhecimento, desenvolvimento humano e processos de empoderamento precisam ir além. Precisamos criar algo que seja multiplicável, que não seja elitizado e que tenha uma linguagem leve e fácil.

A Coconut Academy é, portanto, a busca para democratizar esse tema, para empoderar a todos - principalmente os que nunca lerão esse texto - a agirem, a criarem, a mudarem, e brilharem

É a busca para desenvolver - com a sua ajuda - um kit, ferramentas, metodologias, processos e todas as possíveis formas de tornar isso uma realidade acessível, desejável, divertida, para todos. É claro que vamos aprender fazendo, organizando experiências, indo para a rua, facilitando workshops, criando jogos, e sabe lá mais o que... 

O alívio veio para desbloquear minha mente, a emoção veio para fazer meu coração bater mais forte e me trazer a certeza de que estou no caminho certo, mesmo que tão incerto. 

Para você que leu todo esse texto, ufa! Obrigada e parabéns! Sei que foi longo e agora termino te fazendo um convite: se de alguma forma você se conectou com esse sonho, mesmo que não entendendo muito bem como isso vai se manifestar (ta tudo certo, eu também não entendo muito) eu te convido para estar junto de mim. Se inscreva para a minha newsletter, leia meu blog, me escreva, me questione, me provoque, venha facilitar comigo, criar comigo. 

Vamo com tudo! E seja MUITO bem-vindo(a). 

Com muito amor, 

Raíssa

--

Welcome to Coconut Academy!

 

At this moment I’m experiencing two very strong feelings deep inside of me: relief and an overwhelming sense of excitement.

The relief comes from FINALLY setting this project in motion. It hasn’t been easy; it took way longer for this Coconut to ripen than I had anticipated, but now it’s ready and sweet.

As for feeling overwhelmed, since I first took my first steps into this journey, I have been surrounded by true beauty. So much has already happened and there’s so much more to come. My heart is screaming with joy now that I have started something so special and so meaningful to me.

And that’s the story I am here to tell you today, the story of Raíssa and the Coconut Academy, with the intention of welcoming all of you into it. :)

About a passion:

My name is Raíssa, I am 26 years old and I find it very hard to explain who I am. But whenever needed, even with sweaty palms and a racing heart, I usually say I am passionate about human beings. It might seem silly and naive, but it’s true. I’m passionate about you, about us, about the wonder of being alive, and about everything that makes us shine. And it is this passion that brought me here today. 

Because of this passion, a curiosity for life flourished. It began as a desire to learn about everything that accentuates the feeling of being alive, about humans’ actual passions; art, music, sports, nature, and traveling. And when I realized that many of us do not (actually) live these passions, or do not even know what they are, I took an extra step and started studying about us, our essence, consciousness, self-awareness, beliefs, and spirituality. Delving into the essence of human beings, I stumbled upon many emotions and values and promptly sought learning about them: about fear, love, vulnerability, courage, integrity, coherence, truth, and happiness. And in this spirit of development, I decided to learn about the actual art of learning; about education, as a way of freeing our minds, creating, experimenting, and group facilitation. Then I noticed it is not really enough to have a passion, we need to act on it! So finally I proceeded to learn about such action: about engagement, empowerment, creation, entrepreneurship, service, being hands-on and changing the world. 

It is safe to say I have been learning about all of this for the past 10 years, not necessarily in this order, but with all its intensity. And there was a little bit of everything in this developmental journey: a lot of work, different projects, many trips, many classes, experiences, inspiring people, group moments, lonely moments, times in the city, in the jungle, or in community. And in the middle of it all, a dream was kept intact: the wish to unite all these passions, work, lessons, and endeavours.

About the relief:

Relief has come, but not before a long hard wait... 

I was 20 years old when I first undertook an entrepreneurial project; a platform to share talents and passions through experiences. And 3 years ago I undertook another challenge, transforming the Student Exchange Agency I already co-owned with my mother into a business focused in experimental education through learning journeys.  I also worked in other projects, sometimes simultaneously, and always as an autonomous professional. Surrounding myself with people who taught me a lot, I organized and facilitated different classes, workshops, and interactive experiences. And it was all wonderful, but do you know that feeling of not being quite sure something is exactly what we are supposed to be doing? The desire to build something that would bring spark to my eyes was always there.

In the past few years I must have had around 10 ideas for projects, created about 3 websites, numerous facebook pages, written several texts, done many presentations, and more. I am not kidding. Passion would take over, a vision would take shape in my mind, but the fire wouldn’t spark. And this happened many times, so many. It would always feel like I wasn’t ready. And sometimes we really aren’t, I am aware of that today. But I am also aware that “being ready” doesn’t truly exist, only “starting”. I continuously racked my brain trying to combine my ideas and passions into one unique concept. There were many conversations with my husband, my brother, my friends, and my mentors. Many euphoric moments that would bring me to scream “THAT’S IT!”, and others that would trigger pain and tears, causing me to feel lost again. And it was while in pain (of course) that I realized this was all nonsense; the answer was right in front of me, the tools in my hands, and all I had to do was start. Start sharing my story, my dreams, my journey, my projects, and my lessons learned. Start with an imperfect concept, because (really) nothing is perfect. Start inviting you to participate, start asking for help, establish partnerships, and accept that ONLY this way my dream will take off. Only this way will my dream no longer be mine, but ours and everybody else’s. If this dream was kept in my mind, it would only be an illusion, a fantasy at best, and that’s what was killing me inside.

Today, the relief came. Not because I know exactly all that I am doing, but because this is that long awaited BEGINNING.

About being overwhelmed:

It is with great joy, pride, relief and emotion, that Coconut Academy is born today.

I’ll be honest and say I am not quite sure where this Coconut will take me, and this uncertainty is exactly what I am looking for.

I can say one thing with true conviction: this is more than a project or a dream, it is a part of me and it comes from a place that is real and full of love.

As we cry on the birth of a child, I cry today as I launch this project and tell you my story. Like I said before, I am in love with human beings, and more than this, I BELIEVE in us. Even if there is so much wrong going on, I believe in our beauty more than I believe in our ugliness. Not that I am denying that ugliness, but I believe it is possible to raise awareness about both, taking ownership and then creating positive actions. Actions that overflow from our truest essence. This is that art of shining I mention here and there on the website. I am passionate about that: seeing people shine. And when they do, they make others shine with them.

Nevertheless, I know that even though this text may contain beautiful words, most of of the people in this world are not aware of any of this; of their individual power(s), or how to empower themselves, love each other, and then act to change their reality. How many people have time, money, or even interest in talking about self-awareness, human development, empowerment, and so on? Almost no one.

And it was exactly noticing this gap between my passion and most people’s reality, that brought me to questioning and wanting to change. I am aware of my privileges. I have studied and worked with many other privileged people, where having a good education, being able to work with what we love, and looking to know ourselves are common things between us - how great! However, there’s still so much wrong in this world: wars, misery, corruption, misogyny, racism, injustice! So many children who never had a family, let alone an education. So many people living imprisoned in conflict areas and abusive environments. And still I FAITHFULLY believe we all deserve to shine, and even better, we all CAN shine. I believe we all powerful beyond measure, and we have all the tools we need to create the changes we envision for our lives and the world. But for that to happen, self-awareness, human development and empowerment tools do also need to go beyond. We have to come up with something multipliable, that is not elitist or exclusive, and that contains simple, accessible language.  

The Coconut Academy is, thereby, the search to democratize this theme, to empower everyone - especially those who will never read this text - to act, create, change, and shine. 

It is the search to develop - with your help - kits, tools, methodologies, processes, and every other possible way of turning all of this into an accessible, desirable, fun reality for all. And we will clearly learn through action, organizing experiences, going to the streets, facilitating workshops, creating games, and who knows what else...

The relief came to clear my mind, the feeling of being overwhelmed came to make my heart beat stronger, and both brought me assurance that I am on the right path, even if an uncertain one.

For you who read all of this; whew! Thank you and congratulations! I know it was long and now I’ll finish it off with an invitation: if you, in any way, have identified yourself with this dream, even if you’re not sure how it will manifest itself (it’s ok, I’m not quite sure myself), I invite you to join me. Subscribe to my newsletter, read my blog, write me, question me, provoque me, come facilitate with me, create with me!


Let’s do this! And always feel welcome here!
With love,
Raíssa.

 

 

Translation: Luciana Selke