Uma ode à individualidade do Ser

Canso de ouvir de pessoas (dos mais diversos níveis de proximidade) perguntas invasivas sobre os "porquês" e "o quês" da minha vida e escolhas pessoais. Imagino que isso também aconteça com você. 

Há alguns anos atrás me apresentaram uma brincadeira que caberia muito bem nessas horas. Ela se chama "vida: cada um cuida da tua". Mas eu não gosto de ser grossa (e nem apoio grosserias), então pessoalmente respondo tudo com amor e um sorriso no rosto, aí depois venho desabafar por aqui em forma de texto. 

Por que numa boa né, já é relativamente complexo (apesar de simples ao mesmo tempo) cuidar da nosa própria vida, ir atrás dos nossos sonhos e ser o mais autêntico possível em um mundo tão cheio de ilusões que nos separam da essência... e ainda ter que dar satisfação para os outros do por que eu sou eu e por que tomo as minhas decisões? Preguicinha.   

Ok, você deve estar pensando aí que eu estou exagerando, afinal, às vezes essas perguntas são fruto de pura curiosidade ou de uma genuína vontade de saber da nossa vida, já que muitas dessas pessoas de fato nos amam. Verdade. Mas existem dois tipos de pergunta: A) aquelas que vêm realmente desse lugar do amor e de querer o nosso bem, e B) aquelas que vêm já com um ar de julgamento, ou com um comentário afiado logo em seguida que de alguma forma nos coloca para baixo e faz a gente se questionar de tudo. Tenho a impressão que na maioria das vezes a opção B está mais presente.

Então vamos lá, escrevo este texto para celebrar a autenticidade de cada um de nós, a maravilha de sermos diferentes e podermos tomar decisões próprias - independente do que o outro ache. Se você tem relacionamento aberto ou fechado, ganha dinheiro ou não ganha, trabalha muito ou pouco, depila a perna ou deixa o suvaco peludo, poupa ou gasta tudo, é vegetariano ou come McDonald`s, é de direita ou esquerda, é empreendedor social ou banqueiro, hetero ou homossexual, monogâmico ou poliamor, evangélico ou exotérico-budista-espírita-umbandista... não importa, vamos por favor CELEBRAR, por que tudo isso e muito mais é a escolha de cada UM e é isso que nos torna tão lindos.

Se você ainda sofre por que acha que pode mudar alguém, conselho de amiga, pára tudo e olha pra si.

Se você também sofre por que alguém está querendo te mudar, dê o conselho anterior para essa pessoa, e depois olha pra si de qualquer forma.

Mas como a minha avó já dizia - se conselho fosse bom, não seria de graça. Então vou ficar quietinha por que eu ainda me pego querendo mudar alguns por aí e não sendo capaz de me mudar. Afinal, somos humanos.

Agora venho com um dos clichês mais batidos para tocar direto na ferida: se você quer ver alguma mudança de verdade no mundo, seja você essa mudança, mas aja com coerência, senão é melhor nem começar. Essa frase só é clichê por que todo mundo já ouviu, mas quase ninguém faz. 

E para terminar, fica aqui o registro, que somente quando aprendermos a respeitar genuinamente a individualidade de cada ser é que aprenderemos num nível mais profundo o que é amar.

-

Foto pelo incrível Ben Hopper: www.therealbenhopper.com